Atributos da recém-chegada BMW G 310 GS

Com grande expectativa chegou as concessionárias do Brasil, a BMW G 310 GS. A motocicleta, a primeira de menor porte da marca, tem potência de 34 cv a 9.500 rpm e um torque de 2,9 kgfm a 7.500 rpm.

Motos
2 anos atrás
Atributos da recém-chegada BMW G 310 GS

A moto GS tem câmbio de seis marchas e rodas em liga leve mais voltadas para a cidade. Por outro lado, o aro dianteiro tem 19 polegadas de diâmetro é “menos” urbano para enfrentar a buraqueira do asfalto.

Para muitos, finalmente chegou ao mercado brasileiro uma moto capaz de mudar mais do mesmo um dos segmentos com maior potencial para atrair consumidores, o das trail médias.

Preço

Embora seja considerada pequena para os padrões BMW, o valor da moto não é tão acessível assim. A primeira trail de baixa cilindrada da marca pode ser comprada a partir de R$ 24.900, mas se levar em consideração a montadora e o que a motocicleta traz, vale a pena o investimento.

A moto pode ser comprada nas seguintes opções de cores: vermelho e cinza, branco com filetes e cinza.

Além dos padrões de qualidade e confiabilidade da fabricante, o veículo conta com um ABS de canal duplo e um bagageiro como itens de série, além de uma variedade de acessórios especiais.

Conforme divulga a BMW em seu site, a G 310 GS “é ágil no trânsito urbano e robusto em trilhas leves, demonstrando a versatilidade da linha GS, da qual herda a qualidade, confiabilidade, robustez e inovação que fazem da família GS uma referência mundial entre as motocicletas”.

No mês de lançamento, o diretor da BMW Motorrad Brasil, Federico Alvarez, declarou com alegria a inserção desse modelo no País.

“Estamos muito orgulhosos com a chegada ao mercado brasileiro da nova BMW G 310 GS, uma motocicleta que traz o melhor da linha GS e promete elevar o patamar de qualidade do segmento de baixa cilindrada”, destacou.

Detalhes

Pequena, mas notável, a moto tem visual inspirado nas irmãs maiores, F 800 GS e R 1200 GS. O tanque conta com linhas bem pronunciadas e aletas prateadas com o logotipo da BMW.

Em relação à “R”, a “GS” teve o ângulo de cáster alterado. Além disso, a roda dianteira tem 19” e o entre-eixos é 4,5 mm maior. As suspensões também são exclusivas e têm 180 mm de curso.

O painel, lindo e charmoso, é mais inclinado, para facilitar a leitura se o piloto estiver em pé. Já o sistema ABS do freio pode ser desligado por meio de um botão no punho esquerdo.

A posição de guiar é confortável mesmo para quem é alto. As pernas ficam levemente recuadas e a largura do guidom é ideal para o uso na cidade, onde a 310 GS se mostrou ágil.

Marca registrada da BMW Motorrad, todos os botões e controles são fáceis e seguros de manusear. A operação é simples e intuitiva, levando em conta as diversas anatomias do condutor para garantir uma experiência cômoda e agradável.

Na traseira, a montadora promete uma suspensão com ajuste de pré-carga da mola. Ao contrário da frente que não há regulagem.

Os freios a disco são simples nas duas rodas com 300 mm na frente e 240 mm atrás e têm boa capacidade de frenagem.

A BMW G 310 GS tem como destaque o para-lama dianteiro alto e curto e a linha de cintura elevada. A motocicleta conta ainda com abas laterais do tanque mais pronunciadas e o conjunto óptico dianteiro com formato mais esguio. A trail oferece ainda uma posição de pilotagem mais ereta.

Completam a montagem a estrutura tubular de aço com seção traseira de parafuso, suspensão dianteira invertida, suspensão traseira com braço oscilante de alumínio com um suporte de mola, sistema de freios ABS de dois canais de série e painel de instrumentos com tela de cristal líquido.

A vocação urbana e aventureira tem muitas virtudes sob diferentes pontos de vista, com soluções normalmente só encontradas em motos de competição ou em motos grandes e de alta performance. Mas na BMW G 310 GS é possível encontrar muito mais.

Motor invertido, com a admissão na frente e o escape atrás, encurtando o caminho da saída de gases, o que aumenta a eficiência energética e aumenta a potência;

Eixo do virabrequim com bronzinas e que gira no sentido anti-horário (para trás), ajudando o equilíbrio da moto e jogando peso e esforço mais para trás na moto e eliminando vibrações;

Suspensão dianteira com garfo telescópico invertido (up-side-down), reduzindo a massa a ser movimentada, deixando a frente da moto mais leve, a direção mais precisa e com melhor capacidade de absorção das imperfeições do piso;

Freios ABS que podem ser desligados para a prática do off-road;

Chassi treliçado e com o motor fazendo parte da estrutura, que oferece maior rigidez e menos peso.

Novidades

Para diferenciar de motos da categoria, dois detalhes adicionais estão presentes na BMW G 310 GS. O primeiro é uma luz indicadora para troca de marcha no belo painel planejado pela fabricante. Segundo é o botão no punho esquerdo que desliga o ABS, algo que todas as trail deveriam ter para facilitar o uso da moto no off-road.

Com o lançamento desse produto, a nova BMW G 310 GS, a marca germânica mexe com o mercado e pode atrair para o segmento novos consumidores, aqueles que até então não se sentiam atraídos porque queriam uma moto versátil e com melhor desempenho, mas que não tivessem grande peso nem para o bolso tampouco para o uso diário.

“É uma moto que já chama muita atenção e as concorrentes terão de se mexer para não ficar pra trás. A motocicleta está linda e pelo que ouvi e vi na internet, não deixa a desejar em nada. Quem venham mais modelos assim”, Francisco Alves.

Motor

O motor é o ótimo monocilíndrico de 313 cm3, que produz 34 cv e 2,8 mkgf. O cilindro tem revestimento especial para reduzir o atrito e sua configuração é reversa. Com isso, o ar admitido é mais frio, o que garante melhor funcionamento.

Essa tecnologia permite manter o calor do escapamento longe do radiador e evita o desconforto causado pelo calor do motor na perna do piloto e garupa.

Com arrefecimento líquido e comando duplo no cabeçote (DOHC) com quatro válvulas, o propulsor tem bom torque em baixas rotações e elasticidade para permitir retomadas de velocidade sem mudanças de marcha. Configuração que faz os giros crescerem rapidamente e privilegia o desempenho em alta rotação, como demonstra a potência de 34 cv a 9.500 rpm.

O câmbio de seis velocidades é bem escalonado e fez bom casamento com o monocilíndrico. Os engates são curtos e precisos. Muitos dizem ser pouca cavalaria pelo preço elevado de uma 300cc, mas, na prática, é o suficiente para manter 120 km/h com o motor a 8.000 giros.

O consumo médio na estrada é de 25 km/litro e o tanque comporta 12 litros, revelando autonomia de 300 km, suficiente para viagens longas.

Avaliação

Quem já pilotou a moto faz uma avalição do que sentiu, gostou e pode melhorar.

“Embora o pneus sejam de uso misto, atendem mais para asfalto do que para terra. O mesmo ocorre com o banco, em dois níveis, mais urbano e confortável, pois, dificulta a movimentação no fora de estrada mais radical”, disse Edson Silveira.

A dianteira foi outra questão apontada como a ser melhorada. “A dianteira poderia ser mais firme na compressão, já que durante frenagens ela afunda muito e no retorno pode chegar a dar final de curso”, completou.

A ciclística da moto recebeu elogios. “É muito boa, tem painel muito informativo e de fácil leitura. O peso é excelente e o conforto nem se fala. Muito bom. É autentica moto até para quem busca diversão”, avaliou Eduardo Gomes.

Já na terra, a trail não deixou boa impressão para pessoas de alta estatura. “Nesse piso, o piloto precisa ficar em pé devido as valas e buracos. Nesse ponto, a moto não é confortável para quem tem mais de 1.80 de altura. Ela vai sofrer um pouco para ficar nessa posição na motocicleta”, concluiu.

Um ponto positivo apontado foi a ergonomia. Já o negativo foi o motor que cria um pouco de vibração, em especial, nas mãos. “A sexta marcha poderia ser um pouco mais longa. Dá para sentir a estrangulação. No mais, é uma moto equilibrada, com pouco atrito e trabalha bem”, disse Marcos Oliveira.

Ficha Técnica

Motor
Tipo: Motor de cilindro único, quatro tempos, resfriado à água, com quatro válvulas, dois comandos de válvulas no cabeçote
Diâmetro/curso: 80 mm x 62,1 mm
Cilindrada: 313 ccm
Potência máxima: 25 kW (34 PS) a 9.500 U/min (Versão ECE)
Torque máximo (Nm)/RPM: 28 Nm a 7500 U/min
Taxa de compressão: 10,6:1
Preparação do combustível/gestão do motor: Injeção eletrônica de combustível, BMS-E2.
Catalisador: Conversor catalítico de três vias com circuito fechado, padrão de emissão EU-4

Desempenho/Consumo de Combustível
Combustível: Classificação mínima de octanagem 91 RON (recomendação da UE: 95 RON, recomendação BRA E27)

Alternador/Autonomia
Alternador/Autonomia: Alternador de 308 W
Bateria: 12 V / 8 Ah, livre de manutenção

Transmissão
Embreagem: em banho de óleo com vários discos, operada mecanicamente
Câmbio: Transmissão de sincronismo com seis velocidades, integrada à carcaça do motor.
Transmissão: Corrente sem fim com anel Z, amortecimento de impactos no cubo da roda traseira

Ciclística/freios
Quadro: Tubular de aço com estrutura traseira aparafusada.
Suspensão dianteira: Garfo invertido, Ø 41 mm
Suspensão traseira: Braço oscilante em alumínio fundido sólido, monochoque diretamente articulado, pré-carga ajustável
Curso da suspensão dianteira/traseira: 180 mm / 180 mm
Distância entre eixos: 1.420 mm
Trail: 98 mm
ngulo da coluna de direção: 63,3°
Rodas: Alumínio fundido
Roda dianteira: 2,50 x 19″
Roda traseira: 4,0 x 17″
Pneu dianteiro: 110/80 R 19
Pneu traseiro: 150/70 R 17
Freio dianteiro: Disco único, diâmetro de 300 mm, pinça fixa com quatro pistões, aparafusado radialmente
Freio traseiro: Disco único, diâmetro de 240 mm, pinça flutuante de pistão único
ABS: BMW Motorrad ABS

Dimensões/pesos
Comprimento (mm): 2,075 mm
Largura (mm): 880 mm
Altura (mm): 1,230 mm
Altura do banco (mm): 835 mm (820 mm Assento rebaixado; 850 mm: Assento conforto)
Curvatura das Pernas: 1.870 mm (1.840 mm Assento rebaixado; 1.900 mm: Assento conforto)
Peso em ordem de marcha: 169.5 kg
Peso total permitido: 345 kg
Carga útil (com equipamento de série): 175.5 kg
Capacidade do tanque de combustível: 11 l
Reserva: aproximadamente 1 L
Cores: Branco, preto e vermelho com filetes de cinza

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?