McLaren GT, potência para ninguém botar defeito

Com potência para ninguém botar defeito, o McLaren GT é o mais recente lançamento da marca inglesa e quarto lançamento entre os 18 que a marca prometeu em seu plano de negócios até 2025. “O Mclaren GT combina níveis de desempenho de competição com capacidade de cruzar continentes, envolvido em uma bela carroceria”, afirma o CEO da marca, Mike Flewitt.

Carros
1 ano atrás
McLaren GT, potência para ninguém botar defeito

O carro foi feito para atrair um novo público para a marca, que procura por um esportivo de alto desempenho, mas com muito conforto para viagens de longas distâncias. O novo GT é mais leve, rápido, e responde melhor do que qualquer outro modelo deste segmento, de acordo com a fabricante.

Preço

Quem tem interesse no modelo já pode encomendá-lo nos Estados Unidos e Europa, ao valor de US$ 210 mil, cerca de R$ 845 mil, sem impostos). O GT tem a missão de ser o carro que pode cruzar um continente com conforto, esportividade e até economia de combustível quando comparado a outros modelos da categoria.

Se for mantida sua diferença de preço em relação ao 720S, o superesportivo deve chegar ao Brasil na faixa dos R$ 2,2 milhões.

McLaren GT

O nome é simples, mas o carro não. Com 4,7 metros de comprimento, é o McLaren mais alongado já construído pela companhia na linha Sports ou Super Series. Para confirmar o conforto extra do modelo a McLaren faz questão de destacar alguns dados. O ângulo de ataque, por exemplo, é de 10º, o maior da gama e chega a 13º com o sistema de elevação do carro ativado.

De acordo com o material divulgado, esse mesmo sistema aumenta a distância do solo de 110 mm para 130 mm. “Fazendo do McLaren GT utilizável em todas as situações de tráfico urbano”, diz. O que devem ter esquecido ou não conhecem, são as valetas que existem nas ruas do Brasil.

Igualmente aos “irmãos”, o McLaren GT tem estrutura de fibra de carbono em peça única. Na parte de trás, embora estamos falando de um carro esportivo, temos um espaço para bagagem, com bons 420 litros de capacidade e acionamento de abertura e fechamento elétrico. Segundo a McLaren há espaço para uma bolsa de golf ou dois pares de ski e botas. Na parte da frente existe mais uma área com 150 litros de compartimento, gerando um total de 570 litros.

Internamente, o McLaren GT promete ser o mais luxuoso da empresa. O veículo é composto por bancos aquecidos e com ajustes elétricos, materiais de alta qualidade e sistema de entretenimento de topo da Bowers e Wilkins com subwoofers de fibra de carbono e alto-falantes para médias frequências feitos de Kevlar.

Para o revestimento interno, nappa é de série, mas há como opcionais: couro, alcantara ou até caxemira, que estará disponível a partir do final do ano, sendo a primeira vez que o material estará disponível em um veículo de série.

O GT vem com pneus Pirelli PZero 225/35 e utiliza rodas de 20 polegadas na dianteira. Já no eixo traseiro os pneus são de medida 295/30 com rodas aro 21.

Confortável, mas esportivo

A nova aposta da companhia, o McLaren GT é equipado com o consagrado motor V8 de 4 litros biturbo. Nele, o propulsor rende 620 cv e 64,2 mkgf. A transmissão é a automatizada de dupla embreagem e sete marchas.

A suspensão do GT utiliza o sistema Optional Control Theory do 720S, usando sensores para ler o piso à frente do carro, prever o que deve acontecer e ajustar os amortecedores de acordo em apenas dois milissegundos. O superesportivo é contemplado ainda com amortecedores hidráulicos e três modos de condução: Comfort, Sport e Track.

Apesar de todo o luxo e requinte, o McLaren GT acelera de 0 a 100 km/h em 3,1 segundos e até 200 km/h em 9 segundos. A velocidade máxima fica em 326 km/h. O peso total é de 1.530 kg, o que garante uma relação peso-potência de 399 cv por tonelada.

Não dá para comparar um Sandero R.S. 2.0 aspirado com o McLaren GT, mas o esportivo nacional da Renault acelera de 0 a 100 km/h em 8 segundos, praticamente o tempo que o GT leva para dobrar a velocidade. A máxima é de 326 km/h, mas a marca não divulgou ainda quais cores e níveis de personalização estarão disponíveis, incluindo opcionais. Porém, com os dados divulgados, a diversão estará garantida para quem estiver no banco do motorista.

O esportivo tem autonomia de 666 quilômetros, segundo a empresa, apresentando consumo médio de 6,8 km/l na cidade e 11,4 km/l na estrada. Ele só anda com gasolina. Um Hyundai HB20 1.6 tem média de 10,9 km/l na estrada (etanol). O tanque de 72 litros é grande, quase o mesmo que o de uma picape.

“O novo McLaren GT combina níveis de desempenho com a capacidade de cruzar um continente, envolto em um corpo bonito e fiel ao espírito da McLaren de projetar carros superleves com uma clara vantagem de peso sobre os rivais. Projetado para percorrer grandes distâncias, proporciona o conforto e o espaço esperado de um Grand Tourer, mas com um nível de agilidade nunca antes experimentado nesta categoria. Em suma, este é um carro que redefine o segmento de uma forma que apenas um McLaren poderia ”, disse o CEO da empresa, Mike Flewitt.

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?