Mercedes-Benz GLB, o SUV que é sonho de consumo

A espera acabou. A Mercedes-Benz finalmente lançou o GLB, o SUV construído sobre a plataforma dos Classe A, B e CLA. A título de comparação, o modelo tem porte de um Land Rover Discovery Sport. A carroceria é ampla e área envidraçada mede 4,62 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,65 m de altura e 2,83 metros de entre-eixos

Carros
1 ano atrás
Mercedes-Benz GLB, o SUV que é sonho de consumo

No começo desse mês de junho, o carro alemão foi flagrado em testes na Europa. Com parte ainda camuflada, foi possível ver alguns detalhes. Esse será o maior carro a usar a plataforma MFA, feita para os novos Classe A, CLA, GLA e Classe B. Sua apresentação está confirmada para os próximos meses, antes do 3º trimestre.

O GLB chama atenção pelas linhas quadradas, mas há elementos meio arredondados que o ligam com o restante da gama de SUVs da marca. Além disso, um dos pontos de destaque do modelo é poder levar até sete pessoas, incluindo o motorista. Em meio aos veículos da Mercedes, apenas os maiores GLE e GLS conseguem levar sete passageiros.

Isso foi possível devido à arquitetura da MFA2 que encontrou espaço para um habitáculo amplo e suficiente para cinco adultos e duas crianças. A Daimler enfatiza isso bem nos detalhes do carro, que ainda pode levar de 560 a 1.755 litros de bagagem se uma ou duas fileiras forem rebatidas. Com sete, apenas 179 litros cabem atrás.

Aliás, essa capacidade chega para ser mais uma opção no Brasil que não conta com tantos modelos assim. O design remete exatamente ao que já existe nos Mercedes-Benz de nova geração, mas com traços exclusivos que conferem personalidade e certo grau e diferenciação em relação demais membros da gama.

Os faróis compactos têm projetores em níveis diferentes, sempre acompanhados por feixes individuais de LED. O para-choque tem um protetor metálico central para dar o tom da proposta.

A carroceria parece de um carro amplo até o fim das portas, pois depois disso, o restante parece ter sido encurtado propositalmente para que o GLB não ficasse maior que o GLC. Pelo menos é isso que dá a entender.

Mesmo com esse ‘desencontro’ de formas, o SUV compensa pelas colunas D mais largas e traseira com lanternas em LED de aparência sofisticada, realçadas pelo para-choque com protetor metálico volumoso e saídas de escape bem aparentes.

“As linhas icônicos conferem ao GLB um inconfundível caráter SUV”, diz Gorden Wagener, diretor de design da Daimler AG. “As formas claras com linhas reduzidas e superfícies poderosas transmitem nossa filosofia de design Sensual Purity”, completa.

Com uma das bases é o classe A, o painel é o mesmo com duas telas grandes no alto da peça. Dependendo da versão, o tamanho dos displays será maior e menor. As saídas de ar são redondas e têm acabamento cromado, tal qual os modelos mais recentes da marca.

Preços

Aliado ao fato de ser um belo veículo, a boa notícia é que a montadora já confirmou a venda do modelo no Brasil em 2020. O GLB fabricado no México ficará entre GLA e GLC, com preços ao redor dos R$ 250 mil.

A previsão é que o novo SUV da Mercedes chegue aqui no primeiro semestre do ano que vem.

GLB vem recheado de tecnologia

Se tem uma coisa que o carro trará é tecnologia. Como os modelos mais caros, o novo SUV terá os sistemas de condução semi-autônoma da marca. Há artigos como controle de cruzeiro ativo, monitores de faixa de rolamento, ponto cego e assistentes de estacionamento.

Presente nos carros da Mercedes, o sistema MBUX com comandos por voz e assistente pessoal também está presente no GLB. A montadora informa ter atualizado com a adoção de novo software, telas e gráficos mais brilhantes, representação com detalhes individualizados, head-up com exibição colorida, navegação com realidade aumentada e o característico controle de voz que pode ser ativado através da expressão “Hey Mercedes”.

Motorização

Na Europa, o SUV foi lançado com uma gama reduzida de motores. A versão de entrada é a GLB 200 com um pequeno 1.3 turbo a gasolina de 136 cv. A outra opção a gasolina é a GLB 250 4Matic, com um 2.0 turbo de 224 cv e tração integral. A diesel serão duas opções, 200d e 220d, ambas com um 2.0 turbodiesel com até 190 cv.

O modelo que desembarca aqui terá sob o capô, a versão GLB 250 4MATIC terá como destaque o motor 2.0 turbo a gasolina de 224 cv e 35,7 kgfm de torque.

O câmbio será automatizado de dupla embreagem e 8 marchas, com opção de tração integral com três modos selecionáveis (Eco/Comfort com distribuição de tração 80:20, Sport com 70:30 e Off-Road com 50:50). A suspensão é do tipo MacPherson na dianteira e multi-link na traseira, com amortecedores adaptativos oferecidos como opcional.

Na primeira opção, o carro vai de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos, enquanto o mais forte precisa de 6,9 segundos. As máximas são de 207/236 km/h.

Auxiliando o trem de força, a tração integral sob demanda consegue enviar de 20% a 50% da força do motor para o eixo traseiro, dependendo do modo de condução escolhido, mas não é capaz de desacoplar o diferencial traseiro para poupar combustível, como ocorre na linha quattro Ultra da fabricante Audi.

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?