Range Rover Evoque 2020, vaidoso e cheio de charme

Lançado em 2011, o Range Rover Evoque, SUV compacto de luxo mais famoso do mercado, ganha uma nova atualização oito anos depois. Best seller da marca inglesa, que neste período vendeu mais de 770.000 exemplares mundo afora, o carro continua mais belo a atraente do que nunca.

Carros
1 ano atrás
Range Rover Evoque 2020, vaidoso e cheio de charme

Dono de muitos atributos que o fazem diferente dos concorrentes, seria possível melhorar o que já é bom? A resposta é sim. Bastou seguir a tendência do mercado, introduzir um motor híbrido, tecnologias alinhadas com o tempo e renovar o design já impactante. Pronto. Temos um admirável produto a disposição no mercado, incluindo o brasileiro.

Preço

O preço inicial do novo Evoque lá fora é de 39.250 euros, cerca de R$ 172 mil na cotação atual, na versão com motor 2.0 diesel de 150 cv, câmbio manual e tração dianteira.

Esse modelo traz de série faróis de LEDs, maçanetas retráteis, sensor de chuva, rodas de 17″, ar-condicionado de duas zonas e a central de 10″.

A versão R-Dynamic que custa 41.750 euros, aproximadamente R$ 183 mil por aqui, adiciona visual esportivo no exterior, pedaleiras em alumínio, detalhes cromados e volante em couro.

Entre os opcionais disponíveis está o novo sistema ClearSight Ground View, que utiliza câmeras na grade dianteira e nos retrovisores para perceber o tamanho da carroceria, o que dá uma bela ajuda em estacionamentos e para não ralar as rodas na calçada.

O novo Evoque 2020 deverá chegar no Brasil mercado no segundo semestre deste ano, inicialmente como importado.

Linhas inconfundíveis

Ao olhar para o novo Evoque é possível notar que parece ser igual ao da primeira geração, mas nada que possa incomodar, afinal estamos falando de uma modelo bem-sucedido e apreciado, logo funciona bem manter a estratégia. Os faróis são mais finos, há uma nova linha de cintura abaixo dos retrovisores e as lanternas estão com uma máscara escura, agora atravessando a traseira como nos Porsche.

O novo visual foi inspirado no Range Rover Velar e, igual a ele, as maçanetas são retráteis e destacam a carroceria de cinco portas, a única disponível no novo Evoque. O SUV ainda empresta do Velar as linhas transparentes da carroceria, o que torna esta segunda geração ainda mais refinada e luxuosa.

Conjunto mecânico

O novo Evoque também não muda no que diz respeito ao conjunto mecânico. Contudo, ele não é mais de origem Ford, como ocorria com a antiga geração antes dos motores Ingenium. A carroceria foi mantida e continua feita em alumínio e aço, embora o uso de materiais leves não dê grande resultado final na balança.

O SUV conta com motor 2.0 diesel e tração integral, de série, com peso de 1.930 kg, muito para um carro de 4,37 metros, que mesmo nas versões mais leves a gasolina pesa aproximadamente 1.700 kg. Este peso, aliás, é sentido quando se guia mais rápido e particularmente em pisos escorregadios, mesmo que a eletrônica dê uma mão para tornar a direção sempre fácil e pouco exigente.

Interior com novidades

O interior sim sofreu mudanças significativas. As novidades promovidas na Land Rover foram pensadas em agradar não apenas aos olhos, mas sim no conforto e tecnologia.

O novo SUV ganhou 2 cm de entre-eixos, o suficiente para tornar a área traseira mais acolhedora. Até mesmo o porta-malas cresceu e tem tem 591 litros com os bancos levantados, se tornando mais explorável pelo proprietário. Não muda na profundidade, mas o espaço sob a cobertura aumentou 4 cm e cresceu 2 cm na largura. Porém, ficou faltando um segundo espaço abaixo do piso, ocupado pelo estepe. Em resumo, o Evoque não muda muito, mas se torna um carro mais espaçoso e habitável.

Podemos dizer que a segunda geração do Evoque é completamente inédita no habitáculo, que agora se desenvolve muito de forma horizontal e surge muito mais tecnológico, como foi visto no Velar. Por dentro, são três telas, uma de 12,3″ para os instrumentos e duas de 10″ no console, uma acima da outra, sendo uma para o sistema multimídia e a outra para a climatização.

Das três, apenas a tela de 10″ do sistema multimídia surge como item de série. As outras duas são opcionais. Para quem se importante bastante com o controle da temperatura, ele é feito por dois comandos giratórios para que o motorista possa fazer o ajuste sem tirar os olhos da estrada. Uma forma de garantir mais segurança durante a pilotagem.

O câmbio voltou a usar uma alavanca e agrada bastante. Essa mudança permitiu mais espaço para objetos, como um smartphone, mas que infelizmente não pode ser carregado por indução, uma pena, já que outros modelos mais baratos contam com essa opção.

Ponto de vista

De dentro do carro que tem dimensões compactas, é possível notar que ele ainda continua bastante admirável na cidade, mesmo com a largura generosa e o peso elevado. Nada que atrapalhe, afinal o motor turbodiesel 2.0 de 240 cv tem torque de sobra, e faz esse detalhe passar despercebido.

A linha do Evoque 2020 foi reforçada com os renovados motores a gasolina e diesel, todos 2.0 ligados ao câmbio automático de 9 marchas da ZF, caixa manual está prevista apenas para o diesel de 150 cv. Há também um sistema híbrido leve.

Esse novo propulsor ‘mestiço’ desfruta de uma rede elétrica suplementar de 48 volts, que não alimenta a parte de bordo como instrumentos e multimídia, nesse caso quem atua é uma bateria 12 volts, no entanto coloca em funcionamento um pequeno motor elétrico de 15 cv que está conectado ao virabrequim do trem de força.

Em baixas velocidades, ele é movido pelas rodas e gera corrente que abastece uma bateria de 0,2 kWh, e ajuda o motor 2.0 em acelerações mais fortes. Paralelo a isso, o Evoque consegue se enquadrar como um híbrido e conseguir vantagens fiscais em diversos países, incluindo o Brasil.

Conforto e curiosidade

A vocação do Evoque é percebida pela suspensão de controle eletrônico Adaptive Dynamics, inteiramente voltado ao conforto. O sistema absorve melhor e garante a precisão da direção em curvas.

A título de curiosidade, como alternativa aos bancos em couro tradicionais, é possível pedir o revestimento “alternativo”, que usa tecidos de eucalipto ou semelhantes ao veludo, obtidos com 53 garrafas de plástico recicladas. São medidas que mostram o interesse das montadoras em sustentabilidade.

Ficha técnica

  • Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, 1.997 cm3, duplo comando com variador na admissão e escape, injeção direta, turbo, gasolina + elétrico
  • Potência/torque: 300 cv a 5.500 rpm; 40,8 kgfm de 1.500 a 4.500 rpm
  • Transmissão: câmbio automático de 9 marchas, tração integral
  • Suspensão: independente McPherson na dianteira e multibraços na traseira
  • Rodas e pneus: liga-leve aro 20″ com pneus 235/50 R20
  • Freios: discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira, com ABS e ESP
  • Peso: 1.925 kg em ordem de marcha
  • Dimensões: comprimento 4.371 mm, largura 1.904 mm, altura 1.649 mm, entre-eixos 2.681 mm
  • Capacidades: porta-malas 591 litros, tanque 67 litros

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?