Renault City K-Ze estreia em glamour mundial

A estreia mundial do Renault City K-Ze, um veículo mundial do segmento A 100% elétrico, urbano e com estilo SUV, aconteceu na China, mesmo país onde o carro será fabricado. A apresentação do veículo ocorreu no Salão do Automóvel de Xangai e as revelações remetem a um Kwid elétrico.

Carros
1 ano atrás
Renault City K-Ze estreia em glamour mundial

Com mais esse lançamento, o Grupo Renault ingressa no mercado de veículos elétricos mais importante e mais dinâmico do mundo. Seis meses após a apresentação do conceito no Salão do Automóvel de Paris, o sexto veículo elétrico da gama Renault está sendo revelado no Salão do Automóvel de Xangai.

Esta primeira apresentação pública demonstra a capacidade da Renault e da DRAC em transformar um novo carro-conceito elétrico, baseado no Kwid, em realidade, cuja comercialização será anunciada até o fim do ano.

Nascido de uma joint venture e concebido na China, este primeiro carro elétrico do segmento A será produzido naquele país por meio da joint venture entre a eGT New Energy Automotive Co, Ltd. e a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, que tem parceria com a montadora local Dongfeng.

Renault City K-ZE

Muito a ver com o Kwid, o Renault City K-ZE se destaca pelo design elegante e exclusivo. Com linhas destacadas, silhueta robusta e compacta, o carro também é equipado com faróis de rodagem diurna de LED. Fazendo jus ao autêntico design dos SUVs, mantém uma distância do solo de 150 mm. Ainda em relação as dimensões, tem distância entre eixos de 2.423 mm e um porta-malas de 300 litros, no melhor nível de seu segmento, o que torna um modelo tanto confiável como prático para uso no dia a dia.

O Renault City K-ZE já é reconhecido por ter conectividade centrada no ser humano e modos de recarga competitivos. Os múltiplos modos de recarga fazem dele compatível com tomadas residenciais de 220 V e infraestruturas públicas. Em 50 minutos, a recarga rápida permite passar de 0% a 80% da carga da bateria.

Permitindo completar 100% da carga, a recarga padrão leva apenas 4 horas para ser concluída, o que se adequa perfeitamente a um estilo de vida urbano e agitado.

Um sistema interativo com tecnologia de ponta no segmento é equipado de uma tela colorida de LCD multifuncional touchscreen de 8’’, permitindo que os passageiros se mantenham permanentemente conectados por meio de um aplicativo – mesmo à distância.

O sistema inclui navegação conectada e serviços que permitem monitorar as funcionalidades associadas ao veículo elétrico em tempo real. Os usuários também têm acesso a recursos como WiFi 4G, reconhecimento de voz e entretenimento online.

O Renault City K-ZE é equipado com sensores de partículas finas (PM2.5), um sistema de controle que avalia a qualidade do ar na cabine e alterna automaticamente o modo de circulação externo para interno, permitindo criar um espaço interno saudável e refrescante.

Altos padrões de qualidade

Fabricado na China, o Renault City K-ZE responde rigorosamente aos padrões de qualidade mundiais, contando com a tecnologia elétrica avançada da Renault.

As funções de segurança integradas incluem o sistema de monitoramento da pressão dos pneus (TPMS) e a câmera de ré.

Uma espécie de Kwid elétrico

O SUV compacto que conquistou o coração dos brasileiros por seu design, economia de combustível terá uma versão elétrica que já está sendo testada pela Renault na China.

Materializado na forma do conceito K-ZE, o Renault Kwid elétrico é algo esperado na Índia e no Brasil, porém os países asiáticos foram os primeiros a testar o produto bem antes de nós. Ele é o primeiro carro popular da Renault com proposta 100% elétrica e deverá custar em torno de US$ 8.000, conforme promessa de montadora.

Conceito visual

Se o design do modelo comercializado por aqui já chama atenção, o pequenino eletrificado aparece como conceito de visual bem mais chamativo que o modelo atual. Ele agrega ainda um conjunto ótico com três projetores de LED, ocupando um lugar onde tradicionalmente ficam os faróis de neblina.

Esses espaços onde ficam os faróis dão um aspecto mais robusto ao protetor, que vem ainda com proteção central na base da carroceria.

A dianteira tem faróis mais estreitos e compridos e grade frontal fechada, como ocorre na maioria dos modelos elétricos. Da mesma forma, as lanternas têm desenho próprio.

Com suspensão naturalmente elevada, o Renault K-ZE tem rodas de liga leve estilizadas e de tamanho maior, assim como proteções laterais exclusivas e lanternas traseiras em LED e dotada de lentes estilizadas.

O para-choque tem protetor central em cor cinza e a pintura é em dois tons de azul e branco, tendo ainda o teto barras longitudinais de alumínio. As maçanetas também foram modificadas. O interior não foi revelado, mas a multimídia apresenta conexão com serviços remotos, câmera de ré e gerenciamento gráfico do propulsor.

Tudo isso ocorre para diferenciar o modelo elétrico do Kwid convencional.

Autonomia de 250 km

A cada lançamento de um carro elétrico, fica a pergunta de quanto ele capaz de rodar com esse propulsor. No caso do K-ZE, de acordo com a Renault, ele tem autonomia de 250 km.

A montadora ainda não forneceu especificações detalhadas do modelo, que será produzido em uma joint venture entre a Renault e a chinesa Dongfeng. A empresa criada especialmente para essa finalidade foi batizada de eGT New Energy Automotive.

Ainda em testes, a produção está prevista para começar esse ano. Segundo informações, depois da China, a expectativa é a de que o modelo seja lançado em outros países emergentes, como Brasil e Índia, que já comercializam o Kwid convencional e vão muito bem em vendas nessas localidades.

A notícia não tão boa fica por conta de quem o Kwid elétrico não está previsto para países desenvolvidos. Ele deverá se enquadrar numa faixa de mercado abaixo do Renault Zoe, o elétrico mais vendido da Europa. Durante o Salão de São Paulo, em outubro de 2018, a Renault lançou o Zoe no Brasil, por R$ 149 mil.

Elétrico e global

Como já dito anteriormente, o K-ZE será inicialmente fabricado na China, onde estreia esse ano para depois ganhar o mundo em um futuro próximo.

De acordo com executivos da montadora, o veículo será global em três anos. “É uma plataforma global, um modelo que será acessível, que pode entrar em qualquer mercado, na Europa, em mercados em desenvolvimento”.

A título de comparação, não é só no tamanho que ele é semelhante ao Kwid a combustão. O visual, salvo os elementos tipicamente descolados de conceito, também lembra bastante o popular.

Segundo a marca, esse produto chega com competitividade e a promessa de qualidade, ambos efeitos colaterais de mirar o lucrativo mercado chinês. “Juntamos o melhor da Renault, a experiência em elétricos, a experiência em carros acessíveis e a experiência em capacidade produtiva”.

A dúvida agora é realmente saber com que preço vai chegar por aqui. Especificamente para o Brasil, a montadora afirma que será preciso avaliar como caminhará o programa “Rota 2030” e seus incentivos, ainda em baixa, para produtos elétricos.

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?