T-Sport, o Polo aventureiro e cheio de graça

No embalo do sucesso do recém-lançado T-Cross, a Volkswagen já prepara outra novidade para o mercado brasileiro. Conforme adiantado pelo site especializado Motor Show em maio do ano passado, a VW deve mesmo fabricar no Brasil a partir de 2020 um “crossover revolucionário”, feito sobre a base do Polo, mas com design e nome próprio, com estilo mais próximo ao de um SUV cupê.

Carros
2 anos atrás
T-Sport, o Polo aventureiro e cheio de graça

No final de abril, o mesmo meio de comunicação revelou qual deverá ser o nome do carro da montadora: T-Sport. Fonte ligada à VW em contato com Motor Show confirmou que o modelo vai chegar para confrontar aventureiros como Honda WR-V, Chevrolet Onix Activ, Fiat Argo Trekking, Hyundai HB20X, Ford Ka Freestyle, Caoa-Chery Tiggo2 e Renault Sandero Stepway, entre outros.

Até aonde se sabe, esse veículo será um “aventureiro com algo a mais”, o “crossover revolucionário” e o primeiro “SUV cupê” acessível do mercado. Isso porque deve chegar custando menos que o T-Cross e com a possibilidade de ser o substituto oficial do CrossFox, aposentado sem muito alarde durante o ano passado.

O registro do nome foi feito no INPI, Instituto Nacional de Propriedade Industrial. O modelo ficará abaixo em tamanho e preço do novato T-Cross e será uma espécie de Polo aventureiro, mas com visual próprio, não só caixas de rodas com molduras ou adesivos nas laterais. Pelo menos é isso que a Volkswagen promete.

Também em 2018, Pablo Di Si, presidente e CEO da Volkswagen América do Sul, revelou em entrevista ao Estadão Conteúdo, que este novo carro será apresentado em 2020 e que a fábrica de São Bernardo já começou a preparação da linha para recebê-lo.

Cabe salientar que o T-Sport, ou Polo aventureiro, não é o T-Track. Este outro modelo também será lançado pela Volkswagen em breve. Porém, ele será produzido na outra fábrica paulista da marca, em Taubaté. O T-Track tem porte menor que o do T-Cross e ficará um pouco acima do T-Sport.

Como tradição, a Volkswagen batiza seus SUVs com a letra T, sempre. Atualmente a linha tem T-Cross, T-Roc, Tiguan, Touareg, Teramount, Taycan e Tharu. A marca já apresentou um SUV conceito Taigun e registrou na Europa T-Track. Além disso, o nome Tarek é cotado para o SUV médio a ser produzido na Argentina. Assim, T-Sport entra na lista para mais possíveis nomes de SUV da marca.

Preço e especulações

De acordo com informações não oficiais, o T-Sport surge no próximo ano e deve custar algo entre R$ 69 mil e R$ 89 mil. Outras apostas são de um SUV com tração só dianteira, pois sua proposta é apenas urbana, e motores apenas turbinados com injeção direta. Pode ser o 1.0 TSI, mas com potências diferentes.

As versões de entrada e intermediária, por sua vez, virão com o três cilindros 1.0 TSI com até 105 cv e 17,2 kgfm associado a um câmbio manual de seis marchas.

Já a topo de linha deverá ter powertrain igual ao do Polo: o igualitário 3 cilindros 1.0, mas com 128 cv e 20,4 kgfm e transmissão automática de seis marchas. As duas motorizações vão combinar bom desempenho e baixo consumo.

O que já se sabe

Como a base é o novo Polo, Virtus e o T-Cross, a cabine provavelmente não terá surpresas. Logo podemos esperar racionalidade e bom espaço, embora pessoas mais altas devem sofrer na parte de trás com a forma do teto, por se tratar de um SUV Cupê.

Ainda por dentro, o design interno e acabamento serão simples, com plásticos duros, no entanto opcionalmente incrementados pelo painel digital configurável, como no resto da família Volkswagen.

Já o porta-malas sempre se perde quando a prioridade é o design, então não espere mais que 300 litros. Afinal no futuro T-Sport, mais até que o de costume, o que importa é o visual e nem tanto o espaço.

O que é um SUV Cupê?

Basta pegarmos um modelo da cada e juntar para termos a resposta. Assim temos, basicamente, um utilitário-esportivo de cintura alta e teto com linhas descendentes em direção à traseira, com coluna C (ou C e D) mais inclinada. Com essa estrutura não há vantagem no espaço da cabine, pelo contrário.

O motivo de serem criados é único e exclusivamente mercadológico. Os SUV-cupês pretendem conquistar os mais jovens ou as pessoas mais descoladas, que não se importam muito com outros atributos. Sendo assim, o público-alvo deixa de ser os clientes com 35 a 60 anos e sim os de de 25 a 40.

Essa combinação carroceria é inusitada, mas, sem dúvida, deve virar tendência. Classificada também como crossover ou mistura dos dois, foi criada em 2005 pelo atacado sul-coreano SsangYong Actyon, para se popularizar em 2008 com o BMW X6, batizado com a sigla anormal SAC (de Sports Activity Coupé ou Cupê para Atividades Esportivas), diferenciando-o dos SAVs ( Sports Activity Vehicles ou Veículos para Atividades Esportivas), como a BMW chama o que para todo mundo são SUVs (Sport Utility Vehicles ou Veículos Utilitários Esportivos).

Seja como for, os brasileiros preferem mesmo SUV-cupê de pronuncia mais fácil, pois mistura características de SUV com rodas grandes, maior vão livre do solo e posição de dirigir elevada, com um design esportivo que remete a legítimos cupês, que chama atenção por sua caída no teto e beleza externa.

Apesar de ter muitos pontos similar ao T-Cross, oficialmente o “SUV do VW Polo”, o T-Sport não irá se sobrepor a ele na linha nem derrubá-lo. Na verdade, chega bastante simplificado em alguns pontos para ficar um pouquinho mais barato e atender quem é fã da marca e sonha em ter um SUV da Volkswagen.

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?