Yamaha Crosser 150 com ABS chega em março

Mais um modelo 2019 da Yamaha foi revelado pela fabricante ao público no Brasil. Com grande expectativa, a Crosser 150 chega às lojas em março tendo como principal novidade, o freio ABS na dianteira para cumprir a lei que obriga a presença de itens de segurança de frenagem em motos vendidas no país.

Motos
2 anos atrás
Yamaha Crosser 150 com ABS chega em março

Além do ABS, o freio dianteiro ganhou disco maior na dianteira. Na traseira, o modelo abandonou o freio do tipo a tambor e agora também conta com disco.

A Crosser é equipada com motor monocilíndrico de 149 cc flex, que entrega 12,2 cavalos de potência com gasolina e 12,4 cavalos com etanol.

Preços e versões

A Yamaha Crosser 150 será vendida em duas versões. Confira os novos valores da linha 2019 comparado ao modelo 2018.

Crosser 150 S: R$ 12.399,00 – custava R$ 11.390,00
Crosser 150 Z: R$ 12.599,00 – custava R$ 11.590,00

Sua principal concorrente é a Honda Bros 160 que custa R$ 12.250, mas utiliza freio do tipo combinado. A moto tem garantia de fábrica de 3 anos e revisão com preço fixo.Com essa atualização a Crosser ficou bem mais atrativa.

A configuração S, que tem um estilo mais urbano, se diferencia pelo uso apenas do para-lama baixo, rente à roda. As cores disponíveis são a branca e preta. Esse modelo, por sua vez, traz visual mais “on”, Seu para-lama é baixo, junto a roda. Ela encara caminhos irregulares, inclusive no fora de estrada. Outro diferencial da S é o acabamento das tampas laterais do motor em preto fosco, que transmitem mais sofisticação.

A Crosser Z apresenta um visual mais off-road por ter para-lama alto de formas arrojadas, o que confere ao modelo um aspecto mais aventureiro, facilitando incursões ao fora de estrada em meio a lama. Os protetores da suspensão dianteira são de série, tanto a sanfona quanto o de plástico, e garantem proteção do garfo dianteiro para evitar danos causados por impactos.

Nessa versão há um superior, fixado junto ao farol e o inferior é mais curto. Além disso, ela traz as proteções das bengalas, o famoso guarda-pó.

O trem de força não teve alterações. Manteve o motor monocilíndrico de 149 cm³, arrefecido a ar e flexível. Rende até 12,4 cv a 7.500 rpm e 1,3 mkgf a 6.000 rpm. A transmissão é de cinco velocidades.

Sua alimentação é feita pela segunda geração do sistema de injeção eletrônica de combustível Blueflex, que permite o abastecimento com gasolina, etanol, ou mistura de ambos em qualquer proporção.

O motor da Crosser conta com o YRCS (Yamaha Ram Air Cooling System), sistema exclusivo presente em motocicletas Yamaha, que tem a função de potencializar a refrigeração do sistema, fazendo assim com que o desempenho e performance da motocicleta sejam otimizados.

Nova regra de segurança

A Crosser 150 seguiu a mesma estratégia mercadológica da nova Lander 250 ABS, já divulgada em nosso site. Assim, passa a oferecer o sistema anti-travamento (ABS), porém apenas na roda dianteira.

De acordo com a Yamaha, isso garante mais segurança, mas reduz o custo de produção do que se adotar a tecnologia nas duas rodas.

A nova resolução que entrou em vigor no país recentemente estipula que as motos à venda no Brasil sejam equipadas com um dos dois sistemas de assistência a frenagem.

Para modelos até 300 cm³ a marca pode adotar o sistema de freios combinados, mas acima disso é obrigatório o uso de ABS, devido a maior potência e torque dos modelos.

Desde 2016, as marcas de motos são obrigadas a incluir freio ABS ou CBS em parte das unidades novas. A partir de 1º de janeiro de 2019, a exigência pulou de 60% para 100% do total de motos novas fabricadas ou importadas para o Brasil. No entanto, ainda será possível encontrar motos feitas em 2018 sem os equipamentos nas lojas.

Detalhes

Além dos novos atributos obrigatórios, a moto manteve o que já tinha de bom: banco em dois níveis confortável, painel com informações bem visíveis e grande conta-giros de ponteiro, suspensão traseira monoamortecida e com link.

Além disso, tem o útil lampejador do farol no punho esquerdo, importante para aumentar a segurança na pilotagem em centros urbanos durante a noite. A moto tem peso seco de 124 kg nas duas versões.

As suspensões dianteira e traseira, do tipo Monocross com link, filtra as imperfeições do piso. Para se adaptar à altura do piloto, a Crosser traz outro diferencial, o guidão é ajustável, possibilitando explorar ainda mais sua versatilidade e aumentar a sensação de conforto.

Como já dito, o propulsor não mudou, é o monocilíndrico arrefecido a ar de 149 cm³, alimentado com injeção eletrônica flex, que desenvolve 12,4 cv de potência máxima com etanol (12,2 cv com gasolina). Esse motor trabalha muito bem na cidade, garantindo boas respostas, com mais agilidade e prazer na pilotagem. O tanque de combustível tem capacidade para 12 litros.

Pilotando Sonhos

Antes de viajar por aí você deve se programar muito bem, olhando o mapa e traçando a rota até o local desejado, isso é muito importante pensando na segurança da viagem e a comodidade, pois quanto melhor o percurso, mais proveitoso será o seu passeio. O Pilotando Sonhos te ajuda a se preparar para a estrada.

Vamos Bater um Papo?